Posts Marcados Com: viagem

Semana Santa na América do Sul | O que abre e o que fecha

Santiago do Chile, meu destino escolhido para passar a Semana Santa em 2012

Santiago do Chile | Meu destino da Semana Santa em 2012

A Semana Santa está chegando e muitos brasileiros aproveitam a data para visitar os países vizinhos aqui da América do Sul. No ano passado fiz isso e escolhi a capital do Chile para aproveitar o feriado de uma forma diferente e sem gastar muito. Em alguns destinos existem festividades locais que só podem ser vistas pelos turistas que viajam nesta época. O único problema é ver suas expectativas e planos de viagem irem por água abaixo ao descobrir que muitas coisas fecham durante este feriado. Para evitar surpresas desagradáveis ou contratempos, o Esporte na Mochila preparou este post com dicas do que abre e o que fecha durante a Páscoa em algumas das principais capitais da América do Sul.

Santiago – Chile

Visitei Santiago durante a Semana Santa no ano passado e pude notar que o feriado é muito importante para os chilenos. A sexta-feira é o dia com mais estabelecimentos fechados. O comércio de rua fica fechado de sexta à domingo. Os shopping fecham na sexta-feira, mas abrem no sábado e no domingo normalmente.

Quanto aos restaurantes aconselho ligar daqui do Brasil, perguntar e, se estiver aberto, reservar. Consegui visitar quase todos da minha lista, mas faltou um dos mais recomendados (Aqui esta Coco) que permaneceu fechado durante todo o feriado. Os restaurantes do Mercado Central abrem todos os dias, do meio-dia às 18 horas.

Os parques ficam abertos todos os dias, inclusive o passeio de funicular no Cerro San Cristobal. Também abre todos os dias a “La Chascona”, casa/museu onde Pablo Neruda pasosu uma parte de sua vida.

A maioria das vinícolas fecham, mas consegui visitar no sábado a “Concha y Toro”. Também aconselho reservar data e horário no site, antes de ir. No dia que visitei estava bem cheia.

Um ótimo passeio para fazer em um dos dias do feriado é um bate-volta para Valparaíso e Vina Del Mar. Se tivesse um terceiro dia livre iria com certeza.

Se quiser saber meu roteiro de dois dias por Santiago durante a Semana Santa, basta clicar nos links abaixo:

Dois dias em Santiago – 1o dia

Dois dias em Santiago – 2o dia

Buenos Aires – Argentina

Lá também é feriado na sexta-feira, mas no sábado o comércio de rua em Buenos Aires funciona normalmente. Já a famosa Feira de San Telmo e os museus funcionam todos os dias, inclusive sexta e domingo.

Para restaurantes siga a mesma regra de Santiago: ligue com antecedência e faça reservas, principalmente para sexta e domingo.

Outra dica para feriado é fazer um bate-volta para Colonia ou Tigre.

Montevidéu – Uruguai

O Uruguai vem sendo considerado por muitos especialistas em viagem o país da vez e este feriado é uma ótima oportunidade para conhecer sua capital. A vantagem de ir para Montevidéu nesta época é encontrar a cidade vazia e toda disponível para os turistas. A maioria dos uruguaios aproveita a Semana Santa, onde também é comemorada a Semana do Turismo, para viajar a semana inteira.

O Mercado del puerto abre todos os dias e nos restaurantes há reserva é sempre recomendada.

Punta del Este é sempre uma ótima pedida, mas não estará tão vazia quanto a capital. Se o agito não for o problema, vale a pena esticar por lá, já que a cidade fica tão animada quanto no verão.

No que consiste a Semana Santa?

A Semana Santa é um dos feriados mais importantes para os cristãos, pois nela se comemora a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. A semana começa com o Domingo de Ramos, que relembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, e termina com o Domingo de Páscoa, celebrando a ressurreição de Jesus Cristo.

Parque Bicentenário - Santigo do Chile | Parques são ótimas opções para curtir o feriado da Semana Santa!

Parque Bicentenário – Santigo do Chile | Parques são ótimas opções para curtir o feriado da Semana Santa!

Anúncios
Categorias: América do Sul, Viagem | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Próxima parada: Turquia | O berço da nossa civilização

Como alguns de vocês já sabem, dentro de um mês, o Esporte na Mochila desembarca na TURQUIA, um dos países mais ricos do planeta. E não pense que estou falando de PIB ou renda per capita, mas de CULTURA e HISTÓRIA. Quando comecei a estudar o meu novo destino, logo senti a necessidade de recorrer aos meus livros de história para aproveitar ainda mais a minha viagem. Sei que alguns não gostam tanto de história como eu, mas quando você começa a ler e conhecer um pouco mais da Turquia, é impossível ignorar este fato. Só para ter uma idéia do que estou falando, desde a pré-história até os dias de hoje, muitas culturas e civilizações surgiram, viveram e declinaram por ali, deixando um legado rico e diversificado, o qual terei o prazer de conhecer e explorar. A península de Anatólia ou Ásia Menor, maior parte do que hoje é a Turquia, é uma das regiões habitadas há mais tempo em todo o mundo e de onde as línguas indo-europeias se difundiram. Por ali passaram povoados da era paleolítica, hititas, lícios, celtas, frígios, lídios, cimérios, gregos, persas, macedônios, curdos, além do Império Bizantino, no final do século IV d.C., com o declínio do Império Romano, passando por cinco séculos de civilização Otomana até a instituição da República em 1923.

Durante os 18 dias de viagem, irei percorrer as principais cidades e regiões da Turquia, começando pela Capadócia e suas chaminés das fadas, e terminando em Istambul, a cidade dividida. Fundada há mais de 2.500 anos e sendo a maior cidade da Turquia, Istambul é cortada pelo estreito de Bósforo. É ele quem divide e une, ao mesmo tempo, os continentes Asiático e Europeu. Por possuir esta localização privilegiada, Istambul foi palco de muitas disputas. Mas os povos, raças e impérios que ali passaram nos deixaram como herança uma cidade única e intensamente cosmopolita, onde os contrastes deixados por estas civilizações convivem muito bem com as construções dos dias atuais. Ali a união é muito mais do que dois continentes. É uma fascinante miscigenação de culturas e credos!

Sinto que minha minha visita a  Turquia será uma verdadeira viagem no tempo, onde vivenciarei os dramas e as glórias dos povos aqui ali viveram. E, claro, contarei todos os detalhes aqui no blog quando voltar!

Yakında görüşürüz !!! (Até breve, em turco.)

Categorias: Turquia, Viagem | Tags: , , , , , , , | 1 Comentário

Pensamento em Viagem ou Viagem em Pensamento?

 

Nestas minhas leituras e pesquisas fui acumulando algumas citações, pensamentos e poesias sobre viagem. Resolvi compilar tudo que li e gostei e que agora compartilho aqui com vocês. Aproveitem:

Viajar é fazer uma jornada para dentro de si mesmo.” (Dena Kaye)

Costumo responder, normalmente, a quem me pergunta a razão das minhas viagens: que sei muito bem daquilo que fujo, e não aquilo que procuro.” (Michel de Montaigne)

Viajar é a maneira mais agradável, menos prática e mais custosa de instruir-se.” (Paul Morand)”O viajante ainda é aquele que mais importa numa viagem.” (André Suarès)

“Quando viajo, o que mais me importa são as pessoas, porque só falando com elas se conhece o ambiente.” (Camilo José Cela)

“Eu viajo não para ir a lugar algum, mas para ir. Eu viajo pelo propósito de viajar. A grande sedução é se mover.” (Robert Louis Stevenson)

As viagens dão uma grande abertura à mente: saímos do círculo de preconceitos do próprio país e não nos sentimos dispostos a assumir aqueles dos estrangeiros.” (Barão de Montesquieu)”A viagem pode ser uma das formas mais satisfatórias de introspecção.” (Lawrence Durrell)

Viajar é descobrir que todo mundo está errado sobre os outros países.” (Aldous Huxley)

As viagens são na juventude uma parte de educação e, na velhice, uma parte de experiência.” (Francis Bacon)

Se você deseja viajar longe e rápido, viaje leve. Deixe pra trás todas suas invejas, ciúmes, incapacidade de perdoar, egoísmo, e medos.” (Glenn Clark)

Mas quando o assunto é viagem, para mim, Fernando Pessoa é gênio insuperável!

“Viajar? Para viajar basta existir. Vou de dia para dia, como de estação para estação, no comboio do meu corpo, ou do meu destino, debruçado sobre as ruas e as praças, sobre os gestos e os rostos, sempre iguais e sempre diferentes, como, afinal, as paisagens são.

Se imagino, vejo. Que mais faço eu se viajo? Só a fraqueza extrema da imaginação justifica que se tenha que deslocar para sentir.

“Qualquer estrada, esta mesma estrada de Entepfuhl, te levará até ao fim do mundo”. Mas o fim do mundo, desde que o mundo se consumou dando-lhe a volta, é o mesmo Entepfuhl de onde se partiu. Na realidade, o fim do mundo, como o principio, é o nosso conceito do mundo. É em nós que as paisagens tem paisagem. Por isso, se as imagino, as crio; se as crio, são; se são, vejo-as como ás outras. Para que viajar? Em Madrid, em Berlim, na Pérsia, na China, nos Pólos ambos, onde estaria eu senão em mim mesmo, e no tipo e gênero das minhas sensações?

A vida é o que fazemos dela. As viagens são os viajantes. O que vemos, não é o que vemos, senão o que somos.”

“Viajar! Perder países!
Ser outro constantemente,
Por a alma não ter raízes
De viver de ver somente! 

Não pertencer nem a mim!
Ir em frente, ir a seguir
A ausência de ter um fim,
E a ânsia de o conseguir! 

Viajar assim é viagem.
Mas faço-o sem ter de meu
Mais que o sonho da passagem.
O resto é só terra e céu.”


Categorias: Nem um, nem outro ou nenhum dos dois, Viagem | Tags: , , , , | Deixe um comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.