Minhas impressões sobre Kyoto (Japão) – Parte II

Após visitarmos o Palácio Imperial, Pavilhão Dourado e Castelo de Nijo, o nosso tour terminou no “Handicraft Center”, um local onde se vende souvenirs típicos japoneses, um pouco menor, mas muito parecido com o “Oriental Bazaar” que visitamos em Tóquio, no bairro Harajuku. Nosso guia de Tóquio, o Koishi, com toda generosidade inerente ao povo japonês, preparou um roteiro personalizado para que pudéssemos aproveitar e conhecer o máximo de coisas até o horário de partida de nosso trem-bala de volta à cidade de Tóquio. Eles nos indicou a visita ao Santuário Heian que ficava bem próximo dali, cerca de  5 minutos a pé. Mas como havíamos acordado muito cedo para pegar o trem-bala resolvemos ir direto ao restaurante para almoçarmos.

Cardápio-vitrine

Sempre que viajamos, meu marido gosta muito de pedir dicas de lugares (principalmente bares e restaurantes) onde os moradores da cidade costumam frequentar, pois, normalmente, os lugares indicados aos turistas além de mais caros, não transmitem a verdadeira essência do lugar. E claro que em Kyoto não seria diferente. Sabendo da fama da cidade, como a que mais mantém as tradições japonesas, pedimos ao nosso guia Koishi que nos indicasse um restaurante tradicional em Kyoto e ele não poderia ter escolhido um restaurante melhor. Pegamos um taxi do “Handicraft Center” e gastamos cerca de 10 minutos e pouco mais de 800ienes (R$20,00) para chegarmos ao restaurante mais lindo que já visitei. Não só o restaurante em si, que aliás tinha uma ótima comida e com um preço super justo (R$150,00 o casal), mas pelo maravilhoso jardim a ele anexado . Na entrada do restaurante existe um cardápio-vitrine (foto), onde é possível vizualizar o prato e o preço de cada um, o que é muito comum nos restaurantes japoneses. O nome do restaurante é GANKO TAKASEGAWA NIJOEN ( http://www.gankofood.co.jp/en/) e colocarei as informações sobre ele ao final deste post.

Jardim do Restaurante Ganko

Teatro Minamiza

Saindo do restaurante caminhamos a pé  pela rua Kawaramachi e pudemos perceber que se tratava de uma região comercial, com muitas lojas, restaurantes e cafés.  Após 15 minutos a pé, próximo à Sanjo Bridge, nos deparamos com a Pontocho-dori, uma viela à beira do Rio Kamo repleta de restaurantes e atrações noturnas, cuja visita é essencial. Caminhamos por toda a sua extensão até chegarmos à ponte Shijo de onde é possível avistar o famoso bairro de Gion e o lindo teatro Minami-za. Além de passarela das gueixas este bairro é também conhecido como um local de diversão e boa gastronomia. Farei um post especial sobre as gueixas e lá detalharei mais as facetas deste bairro.

Pontocho-dori

Infelizmente nesta época do ano o dia é muito curto (anoitece às 16:30h) e como a maioria dos templos e santuários fecha ao anoitecer, não conseguimos visitar nenhum deles. Depois que o sol de pôs, caminhamos pelas pequenas ruas do leste de Gion e ali percebi que para realmente conhecer as riquezas de Kyoto é preciso procurar os detalhes, andar pelas ruas menos importantes e percorrer os bairros mais afastados. Gostaria muito de ter visitado muitos lugares como o Kiyomiduzera, um templo de mais de 1000 anos de existência e que oferece uma vista incrível da cidade, o Caminho do Filósofo, a floresta de bambus, dentre muitas outras atrações e monumentos. Mas prefiro transformar esta decepção em uma razão para voltar, não seria nenhum sacríficio poder desbravar mais um pouco desta fantástica cidade!

Caminhada pelo bairro de Gion

Restaurante Ganko Takasegawa Nijoen – 484-6, Higashi Namasu-cho, Nijo-kudaru, Kiyamachi-dori, Nakagyo-ku, Kyoto 604-0922 Tel : 075-223-3456

Ver também “Minhas impressões sobre Kyoto (Japão) – Parte I (https://esportenamochila.wordpress.com/2012/02/13/minhas-impressoes-de-kyoto-japao-parte-i/)

Anúncios
Categorias: Japão, Viagem | Tags: , , | 2 Comentários

Navegação de Posts

2 opiniões sobre “Minhas impressões sobre Kyoto (Japão) – Parte II

  1. Marcos Reis

    Kyoto é fantástico !

  2. Silvia Commisso

    Kyoto deve ser um lugar bem interessante e merece ser visitado com calma, devido a riqueza de detalhes das ruas, bares, restaurantes, templos, lojas…..enfim……viajar é muito bom.
    Adorei saber do cardapio com fotos e preços na entrada dos restaurantes. Isso evita surpresas desagradáveis, principalmente em países cuja “escrita” e “culinária” é bem diferente.
    Adorei a sua matéria !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: